Representante de vendas

O nosso escritório de advocacia oferece serviços de consultoria no campo do direito das agências comerciais:

  • Preparação e revisão legal dos contratos de agência
  • Consultoria e representação para a remuneração e rescisão de contratos de agência
  • Declaração de reivindicação do Representante de Vendas

Na Alemanha, o representante de vendas é um assistente de vendas. Ele é um empresário independente e não é empregado pela empresa. Ele ou ela, estabelece contratos para outras empresas com o cliente ou usuário final. Uma empresa independente é caracterizada pelo fato de que o funcionário de vendas realiza o seu trabalho de forma independente e contínua e o administra livremente. Um funcionário de vendas pode ser uma pessoa física ou uma pessoa jurídica, por exemplo, uma GmbH ou OHG. Existe uma relação contratual permanente entre o funcionário de vendas e a empresa.

Contrato de agência comercial

O contrato da agência é o núcleo e a base das atividades da agência. O contrato de agência deve conter os direitos e obrigações precisos das partes contratantes. O produto ou serviço a ser distribuído pelo representante de vendas deve ser identificado com a maior precisão possível. O valor da comissão, os requisitos para sua criação, assim como o reembolso das despesas do representante de vendas e a duração do contrato devem ser estabelecidos no contrato.

Proteção territorial e ao cliente

As possíveis peculiaridades da representação comercial também devem ser especificadas. Um representante exclusivo é um representante que só pode trabalhar para uma empresa. Portanto, nenhum outro serviço do funcionário de vendas é permitido para outras empresas. Um funcionário de vendas de área, é um funcionário de vendas que atua como o único representante de uma empresa em uma área geograficamente definida (proteção distrital). Também é possível para o vendedor adquirir um determinado grupo de clientes (exclusividade do cliente).

Proibição de competição

Durante a vigência do contrato, o representante de vendas está proibido de competir com a empresa. Isto decorre do princípio legal de que o representante de vendas deve proteger os interesses da empresa. Os interesses do agente são comprometidos quando ele fornece os seus serviços para uma empresa concorrente. O escopo da cláusula de não-concorrência depende do tipo de contrato. Uma ampla proibição de concorrência contra um agente exclusivo seria permitida. Se o representante de vendas apenas intermediar contratos, uma cláusula ampla de não concorrência pode ser inadmissível. As cláusulas individuais de não concorrência podem ser verificadas por um advogado especializado em Direito Comercial.

O que acontece se o representante de vendas violar a proibição da concorrência?

Em caso de violação da cláusula de não concorrência pelo agente comercial, a empresa tem o direito de se defender do agente comercial e consecutivamente, pode solicitar o encerramento do negócio. Ela também pode exigir o pagamento de danos e pode repreendê-lo. As conseqüências legais podem se estender a uma rescisão extraordinária do contrato da agência.

Proibição de concorrência pós-contratual pelo representante de vendas

Uma vez concluído o contrato entre o representante de vendas e a empresa, não há mais proibição de concorrência na prática. O funcionário de vendas pode então começar a trabalhar para um concorrente. Muitos contratos contêm uma cláusula de não concorrência subseqüente. O Código Comercial Alemão estabelece quatro requisitos para uma cláusula de não-concorrência efetiva:

  1. Contrato por escrito e entrega do documento contratual ao representante de vendas
  2. Uma duração máxima de dois anos para a cláusula de não-concorrência
  3. Restrição ao distrito ou base de clientes do representante de vendas
  4. Pagamento de indenização razoável pela duração da cláusula de não concorrência

O não cumprimento da subseqüente cláusula de não-concorrência tem conseqüências semelhantes ao não cumprimento enquanto se trabalha para a empresa: uma reclamação por danos e uma reclamação por cessação de atividade pode ser reivindicada contra o representante de vendas. Finalmente, o representante de vendas também perde o seu direito à compensação pela subseqüente cláusula de não concorrência.

O Tribunal Federal de Justiça impôs outras exigências quanto à presença no contrato de uma cláusula de não-concorrência posterior. De boa fé, os interesses do representante de vendas e os da empresa devem ser cuidadosamente avaliados. A cláusula de não concorrência subseqüente não deve prejudicar indevidamente o representante de vendas. Uma regulamentação que prejudica o representante de vendas é inadequada, uma vez que a empresa pode fazer valer indevidamente os seus interesses às custas do representante de vendas através de um contrato unilateral sem antes levar em conta os seus próprios interesses e sem lhe conceder uma compensação adequada. Isto significa que uma proibição geral da concorrência ou uma cláusula sem compensação adequada pode ser ineficaz. O contrato de agência comercial deve, portanto, ser verificado por um advogado especializado em Direito Comercial para determinar se, uma cláusula subseqüente de não concorrência é legalmente eficaz.

Fim e rescisão do contrato de agência

Se o contrato comercial for celebrado por um período fixo, ele não poderá ser rescindido pela rescisão ordinária do contrato. O representante de vendas e o empresário podem concluir um acordo de rescisão. Neste caso, o contrato pode ser rescindido se ambas as partes concordarem na sua rescisão. Um advogado especializado em Direito Comercial deve verificar se o contrato pode, de fato, ser rescindido para descartar qualquer reclamação da outra parte em caso de rescisão.

Rescisão ordinária do contrato de agência

Um contrato ilimitado pode ser rescindido por uma rescisão ordinária. No primeiro ano do contrato, este poderá ser rescindido com um mês de antecedência; no segundo ano do contrato, com dois meses de antecedência e do terceiro ao quinto ano do contrato, com três meses de antecedência. Após um período de cinco anos, a relação contratual pode ser rescindida com seis meses de antecedência. O empregador não deve receber menos notificação do que o representante de vendas.

Rescisão extraordinária do contrato de agência

Uma rescisão extraordinária do contrato de agência comercial é possível se houver uma razão importante. Tanto o empresário quanto o representante de vendas, podem reivindicar uma razão importante para si mesmos. Se houver uma razão importante, deve-se examinar se a continuação do contrato até a próxima data de rescisão pode ser razoavelmente esperada pela respectiva parte contratante. Uma razão importante existe no caso de uma violação material das obrigações contratuais. Para o empregador, razões sérias são, por exemplo, violação da cláusula de não concorrência, falência do representante de vendas ou uma queda significativa nas vendas. Para o representante de vendas, os motivos sérios são, por exemplo, uma redução inaceitável da comissão ou uma redução unilateral da área de negócios pela empresa. Antes da rescisão extraordinária, é fundamentalmente necessário que a contraparte seja avisada do não cumprimento das obrigações e, no caso de uma nova falha, ameaçada de rescisão extraordinária. Uma advertência não é necessária se a violação do dever for tão significativa que a relação de confiança seja permanentemente prejudicada, de modo que não se possa esperar que a parte que termina o contrato continue com o mesmo. O nosso escritório de advocacia oferece assessoria individual a empresas e agentes comerciais em caso de rescisão.

Compensação do Representante de Vendas

O representante de vendas tem direito a uma compensação do empregador no final do contrato de agência comercial. No final do contrato com o vendedor, a reivindicação da comissão do vendedor cessa. O empresário tem a vantagem de poder continuar a celebrar contratos com clientes que tenham sido adquiridos por ele. Como compensação para a base de clientes adquirida, o funcionário de vendas é compensado no final do contrato. De acordo com a lei, ele recebe a compensação apropriada. O direito à indenização não pode ser excluído de antemão.

Além dos agentes comerciais, os agentes de seguros e representantes de caixas econômicas também têm direito a uma compensação.

Quando o representante de vendas tem direito à compensação?

Há três pré-requisitos para que o representante comercial tenha direito à compensação:

  1. rescisão do contrato

O contrato entre o representante de vendas e o empreiteiro deve ser rescindido. O contrato pode ter sido rescindido por um acordo de rescisão.

  1. vantagens significativas da empresa

A empresa deve ter benefícios significativos que continuam a existir após o término da relação contratual. Um dos benefícios pode ser a carteira de clientes adquirida pelo representante de vendas. Se forem esperados pedidos subsequentes de clientes, estes benefícios serão considerados. A menos que o empresário demonstre o contrário, pode-se assumir que a empresa continuará a fazer negócios com os clientes do funcionário de vendas. Os clientes existentes, que ele não adquiriu, não são uma vantagem para o empresário. Esta exclusão só se aplica se o representante de vendas não tiver aumentado os negócios com estes clientes e, neste caso, ele terá direito a uma compensação.

  1. Equidade

A lei também exige que a compensação, como um montante, seja justa. Todas as circunstâncias devem ser levadas em conta em cada caso individual. Um pequeno pedido de indenização é justo se o empregador tiver financiado o seguro de pensão do representante de vendas. Mesmo que o empregador tenha pago ao representante de vendas remuneração diferente da comissão, ele deve pagar menos indenização. Um pagamento maior é considerado justo se a aquisição do cliente foi complexa para o funcionário de vendas ou se ele manteve a relação comercial com o cliente por anos.

Quando está excluído o pedido de indenização do representante de vendas?

O Código Comercial prevê que o pedido de indenização do representante comercial é excluído em vários casos:

 

  1. aplicação judicial no prazo de um ano

O direito do representante comercial à compensação deve ser reivindicado no prazo de um ano após o término da relação contratual. O direito é excluído se for reivindicado após um ano da rescisão do contrato. Recomenda-se fazer valer a reclamação por escrito e ter prova do recebimento da carta.

2) Rescisão pelo representante de vendas

Se o representante comercial rescindir o contrato com o seu constituinte, ele perde seu direito à indenização. No entanto, isto não se aplica se houver um motivo importante para rescindir o contrato. Se a causa for o não cumprimento das obrigações da empresa, tais como falta, atraso ou pagamento insuficiente de comissão ou uma mudança no tamanho da área de alocação, o direito à compensação persiste. Neste caso, o representante de vendas deve notificar previamente a empresa para que o pedido de indenização não seja comprometido.

Se o representante de vendas deixar de trabalhar porque não pode mais exercer o seu ofício devido a doença ou velhice, o direito à indenização ainda existe. Se você for menor de 65 anos, o direito à indenização geralmente só persiste se houver razões excepcionais.

  1. rescisão por parte do empregador

Se o empresário resolver o contrato devido a uma violação do dever pelo representante comercial, este último geralmente perde o seu direito. Este é o caso se a proibição de concorrência for violada.

  1. Planejamento da sucessão

Se o empresário chega a um acordo com o representante comercial, com o qual um terceiro estabelece a relação contratual em seu lugar, este último perde o direito à indenização. No entanto, este acordo não pode ser concluído antes do término da relação contratual.

Qual é o valor do pedido de indenização?

O chamado cálculo da compensação do valor da reivindicação deve ser feito. Este cálculo está ligado às perdas de comissões do agente após a rescisão do contrato. Leva-se em consideração a comissão total que o representante de vendas auferiu com os novos clientes adquiridos nos últimos 12 meses e com os clientes existentes, fortalecendo o relacionamento com estes. Dependendo do caso, um montante de 10% e 30% do faturamento é deduzido para os clientes que terminam a relação comercial. Para os próximos quatro anos, as comissões devem ser calculadas nesta base. Uma possível dedução de capital é então feita. O limite superior do direito à compensação é a remuneração média anual dos anos anteriores.

Marque agora uma consulta

Contate-nos


    Contact:Wittelsbacherstraße 18 | 10707 Berlin 030 407 417 31info@bildt-law.de